sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Mesóclise

Quando era só, era o O, e por seguir a regra, se atraia por tudo, e vinha sempre antecipado as ações, como a Próclise que servia tão bem para definição desse jeito de ser.

Aí ela apareceu num Em, desejando iniciar as frases e fases, forçando a vida a se parecer com uma Ênclise, pois assim era mais fácil de rotular.
O desgaste foi natural: demorou um tempo até que entendesse que quando se soma 'Em' e 'O', obtém-se um tipo de 'Nó', que não podia ser desatado, mesmo que desencontros fossem firmados.
Assim fez-se mais sentido ao destino que acrescentasse um S nessa história, para que se tornasse um 'nos': uma Mesóclise que de ponta cabeça era tudo que sempre quis ser - aquilo que começa num sou e termina junto a pessoa amada - aquele sentimento importante que não pode ficar nem no inicio e nem no fim da sentença, tem que se situar no meio, entre duas ações que se remetem às duas partes envolvidas, mesmo que para a maioria das pessoas seja um verbo só de quatro letras.

Um comentário: